25 de Maio de 2019 -
 
08/05/2019 - 07h11
Bernal acredita que se segura na presidência do PP em MS
Questionado sobre as críticas que recebeu como presidente do PP, Bernal voltou a minimizar a insatisfação de lideranças dizendo que nunca houve crise.
Danúbia Burema
Midiamax/Agoranews

Após ter se reunido com a executiva nacional do Partido Progressista, Alcides Bernal (PP) avalia que não terá problemas para se manter no comando do diretório em Mato Grosso do Sul. Ele esteve em Brasília (DF) com o senador Ciro Nogueira (PP), reeleito presidente nacional do partido no dia 25 de abril, e disse ter apresentado inclusive metas da legenda no Estado.

Ele garante ter respaldo das lideranças nacionais por presidir diretório devidamente constituído. E aposta também na votação que obteve na última eleição, apesar de ter tido a candidatura barrada. “O que interessa para o partido é ter deputados federais”, comentou.

O dirigente contou ter tratado com a direção nacional a meta para as eleições de 2020: eleger cem vereadores no Estado e dez prefeitos ou vice. “Sabemos que é difícil de ser alcançada, mas vamos atrás”, disse, completando que tem visitado diversas cidades preparando os diretórios.

“O partido vem crescendo, galgando patamares que nunca pôde ter”, avaliou, ao relembrar a trajetória de crescimento da legenda no Estado após seu ingresso. “Quando eu entrei no PP não tínhamos representantes nem no Parlamento Estadual nem no Municipal. De lá para cá você veja o avanço que nós tivemos”, ponderou.

Eleições municipais

A intenção de Bernal é lançar o deputado estadual Evander Vendramini (PP) na Cidade Branda. “Evander é nosso nome para ser candidato a prefeito em Corumbá. Ele não tem nada que perder, só que ganhar porque tem mandato de deputado estadual e vai disputar no colégio eleitoral dele”, pontuou.

Bernal destacou que em Campo Grande já há 20 pré-candidatos a vereadores que são “pessoas qualificadas, com formação intelectual e trabalho comunitário”. Segundo ele, é preciso colocar bons nomes à disposição do eleitor. “Não dá mais para ficar elegendo pessoas que não têm discernimento algum e ficam promovendo teatros bizarros”, comentou.

Na Capital, ele não descarta apoiar chapa na majoritária e aponta o nome da vereadora Dharleng Campos (PP) como opção para vice. Também aposta na reeleição de Cazuza (PP) como vereador.

Questionado sobre as críticas que recebeu como presidente do PP, Bernal voltou a minimizar a insatisfação de lideranças dizendo que nunca houve crise, somente um “zum-zum-zum”. Ele atribui a situação ao aproximar das eleições, que fazem adversários tentarem “cooptar” quadros do partido. “Não temos nenhuma rusga”, garantiu.

O Progressista conta hoje com três vereadores na Capital. Mas, Valdir Gomes (PP) informou que aguarda somente a janela partidária para mudança de sigla. “Nós temos certeza que os quadros do partido estão contentes. Os que estiverem descontentes como é que eu vou obrigar a ficar onde não querem? ”, finalizou.

publicidade
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
© 2013 - AgoraNews.com.br - Todos os Direitos Reservados

É expressamente proibida cópia, reprodução parcial, reprografia, fotocópia ou qualquer forma de extração de informações deste sem prévia autorização dos autores conforme legislação vigente.